sábado, julho 29, 2006

3 Fumantes , 1 Quarto e nenhum isqueiro


Daria um livro ,só estando lá mesmo!
As vezes conhecemos pessoas que parecem que faz um eternidade que ja as conhecemos
Talvez de outras vidas ! quem sabe??
Porém não importa , o que importa é o momento
eis a estoria:

Local: Hotel Praia 27
Cidade : Bertioga

Sabado a noite , após mais um dia cansativo de curso no D.L , enquanto todos se retiravam aos seus quartos pra durmir ,3 pessoas pensaram diferente , Fikar acordados a noite inteira e quem sabe poderiamos ate dar uma fugidinha do hotel e pegar uma baladinha , não deu certo !!!a não ser a parte de não durmir ,após incomodarmos o hotel inteiro com nossas risadas , conversas e cantorias foi que percebemos a situação degradante a qual ´nos encontravamos " 3 fumantes , 1 quarto e nenhum isqueiro"
como eu disse um dia isso vai dar um livro ( só quem estava lá sabe como foi especial este fds inteiro, que vai durar pra sempre em nossas mentes)
Observação: As 7 horas da manha após apenas cochilarmos por meia horinha antes do ultimo dia do curso foi que eu percebi o isqueiro tava no meu bolso !! Mau ai Gabi e Miliani (Love u babys)
Ah Gabi não esquece do nosso acordo
"Eu não te ligo e tu não me liga"
Vai ai um poema
adivinha de quem ??? Ele mesmo o cara,,,
Manuel Bandeira

A morte absoluta

Morrer.
Morrer de corpo e de alma.
Completamente.
Morrer sem deixar o triste despojo da carne,
A exangue máscara de cera,
Cercada de flores,Que apodrecerão - felizes! - num dia
,Banhada de lágrimasNascidas
menos da saudade do que do espanto da morte

.Morrer sem deixar porventura uma alma errante...
A caminho do céu?
Mas que céu pode satisfazer teu sonho de céu?

Morrer sem deixar um sulco, um risco, uma sombra,
A lembrança de uma sombra
Em nenhum coração, em nenhum pensamento
,Em nenhuma epiderme.

Morrer tão completamente
Que um dia ao lerem o teu nome num papel
Perguntem: "Quem foi?...

"Morrer mais completamente ainda,
Sem deixar sequer esse nome.

sexta-feira, julho 28, 2006

Este é meu poema predileto de Manuel Bandeira , sempre vivi em busca minha vida toda de um lugar assim , onde o trivial se torna magico finalmente depois de muitos erros e de muito prejudicar a minha pessoa hj sei por que nunca me adaptei , eu não sou daki vou me embora pra pasargada

hehehe !!!!! Lá eu sou feliz .Lá estou sempre por isso vivo de bem com a vida!!!!

Vou-me embora pra Pasárgada (Manoel Bandeira)

Vou-me embora pra Pasárgada
Lá sou amigo do rei
Lá tenho a mulher que eu quero
Na cama que escolherei
Vou-me embora pra Pasárgada

Vou-me embora pra Pasárgada
Aqui eu não sou felizLá a existência é uma aventura
De tal modo inconseqüente
Que Joana a Louca de Espanha
Rainha e falsa demente
Vem a ser contraparente
Da nora que eu nunca tive

E como farei ginástica
Andarei de bicicleta
Montarei em burro brabo
Subirei no pau-de-seboT
omarei banhos de mar!
E quando estiver cansado
Deito na beira do rio
Mando chamar a mãe-d'água
Pra me contar as histórias
Que no tempo de eu menino
Rosa vinha me contar
Vou-me embora pra Pasárgada

Em Pasárgada tem tudo
É outra civilização
Tem um processo seguro
De impedir a concepção
Tem telefone automático
Tem alcalóide à vontade
Tem prostitutas bonitas
Para a gente namorar

E quando eu estiver mais triste
Mas triste de não ter jeito
Quando de noite me der
Vontade de me matar—
Lá sou amigo do rei —
Terei a mulher que eu quero
Na cama que escolherei
Vou-me embora pra Pasárgada